Onde estou?  Fórum UOL Esporte > Lutas
  •  
Compartilhe:
  • Enviar por e-mail
  • Orkut
  • Facebook
  • Twitter
  • Avalie:
20/11/2017 19:26

Aldo não treina para a imprensa, mas avisa Holloway: "Vou sufocar do início ao fim"

  • Novo tópico
Páginas:  1  | primeira | anterior | próxima | última

Galo Doido!

Mensagens: 5731
Cadastro: 28/05/2012

Nível 4

É feriado no Rio de Janeiro - Dia da Consciência Negra -, mas, nesta segunda-feira, José Aldo, próximo desafiante ao cinturão peso-pena do UFC, esteve no centro de treinamento da equipe Nova União, na zona sul da cidade, para participar de um "Media Day" promovido pelo Ultimate. O manauara optou por não participar do treino-aberto agendado pela organização, entretanto, não escapou de falar sobre o campeão Max Holloway, com quem luta no UFC 218, em Detroit (EUA), dia 2 de dezembro.


José Aldo entrou no tatame apenas para posar diante dos fotógrafos (Foto: Marcelo Barone)


José Aldo - que declarou não saber que haveria um treino-aberto, posou para fotos no tatame e pareceu mais empolgado para esta luta do que para as anteriores. O ex-campeão da categoria prometeu um estilo mais agressivo no octógono, semelhante ao que marcou seus primeiros duelos no extinto WEC e no próprio Ultimate.

- É um fator especial (lutar em Detroit), foi lá que virei campeão do UFC, onde o Dana (White) me entregou o cinturão. Estamos voltando para um novo reinado, começando por Detroit de novo, mas o cinturão volta para cá. Estou bem física e tecnicamente, passei um tempo nos Estados Unidos, aprendi coisas novas para ajudar no treino. Estou atravessando uma fase boa. Pode ter certeza que vou sufocar do início ao fim.

Nocauteado no terceiro round contra Max Holloway, no UFC Rio, realizado em junho deste ano, José Aldo atuou com a perna machucada, o que prejudicou seus chutes - sua arma principal. O americano afirmou recentemente que, o fato de Dedé Pederneiras, técnico do brasileiro, ter revelado essa lesão, foi uma covardia por tirar o brilho de sua vitória. Entretanto, o manauara deu os méritos a "Blessed".

- Quem me conhece, sabe que atrapalhou, porque abro muito espaço quando chuto. Faz parte, estava vencendo bem, ele teve a oportunidade dele e venceu a luta. Já passou, serve de lição para que na próxima eu não caia de novo. Não teve covardia nenhuma. Toda vez que entro lá dentro é o melhor Aldo possível. O Holloway foi o grande lutador da noite, fez por merecer. Não tem desculpa nenhuma. O Dedé falou o que aconteceu no treino. O Holloway venceu por méritos, mereceu vencer.

Confira a entrevista na íntegra:

Você enfrentaria o Ricardo Lamas, dia 9 de dezembro. O que essa luta contra o Holloway muda na sua preparação?

Não muda nada. Quanto mais rápido, melhor. Vinha fazendo treinamento de quatro rounds quando temos uma luta de três, colocamos apenas mais um. O corpo não sofre tanto. Estou muito motivado por essa troca. Dessa vez, estou muito mais preparado do que da outra.


Peso-pena assegura que retornará ao posto de campeão da categoria (Foto: Marcelo Barone)


Como está fisicamente?

Estou perfeito, graças a Deus! Lesão sempre existe, mas nada que tire qualquer arma. Estou socando, chutando, fazendo tudo. Ter lesão é normal, estamos em um esporte de contato, de impacto, mas estou correndo bem, chutando, boxeando, fazendo jiu-jítsu, um pouco de tudo. Vou pra cima o tempo todo, quero colocar a mão.

E em relação ao jogo do adversário?

Hoje em dia não vejo mais pelo adversário, penso em mim, não penso no que ele vai fazer, no ponto forte dele. Quero lutar da maneira que sempre lutei, chegar lá dentro e ir pra cima, atacar o tempo todo. Esse foi o Aldo que chegou a ser o Aldo. É assim que quero lutar agora. Não importa o adversário, vou treinar minhas habilidades para fazer lá dentro. Pouco importa o que ele vai fazer

O Max Holloway ainda está engasgado?

Não, cada luta é uma luta. Aquele que luta sempre, um dia pode perder, é do esporte. Não está ensgasgado por isso, o fato de o cinturão não estar comigo é que me deixa mais motivado para treinar mais e recuperar. A luta com o Holloway é só mais uma que vou vencer.

A envergadura do Max Holloway sempre rende muito assunto. Você sentiu muita dificuldade na prática?

Não, na prática, eu acertei os melhores golpes, minha mão encaixou bastante. Meus braços são mais longos do que o dele. Não vejo essa diferença de envergadura. Ele é maior, mas tem que se curvar para chegar na minha altura. Eu estava indo bem, a partir do momento que tentei fazer um novo jogo, não fui feliz. Faz parte.


José Aldo perdeu para Max Holloway UFC Rio 8, em junho deste ano (Foto: Reuters)


O que muda no psicológico fazer uma revanche?

É uma motivação a mais. Eu queria ter feito a revanche contra o Conor (McGregor), que eu perdi, mas a chance está vindo agora. Fico feliz não pela revanche, mas por disputar o cinturão. É o que me motiva, o que me faz acordar cedo, a treinar cada vez mais para ser o campeão.

Atualmente, os campeões do UFC escolhem muito as suas lutas. Ficou surpreso com o fato de o Holloway ter aceitado dar a revanche a você?

Campeão é aquele que começa defendendo o cinturão. Ele tem isso na cabeça. Ele estava esperando a defesa contra o Frankie Edgar, por isso não saiu da luta. Fico feliz por ele ter aceitado, como campeão, tinha o direito (de não aceitar), sim. Mas tinha que botar o cinturão em jogo, aconteceu dessa maneira. É uma nova vida, nova chance e vou pegar o cinturão.

Como termina a luta contra o Holloway? Está com saudade de nocautear?

Eu estou com saudade de vencer (risos), cara. Na última não fui muito bem. Estou com uma visão nova. Quero ir pra frente o tempo todo. Pode ter certeza que essa luta vai acabar o quanto antes.

Você passou um período treinando nos Estados Unidos. No que sente que evoluiu?

Evoluí muito. A gente tinha a visão que eu tinha um boxe bom, mas treinando com os melhores boxeadores, vários campeões mundiais, vi que sou apenas um iniciante, com muito a evoluir. Eles me ensinaram bastante coisa para eu botar no meu jogo, o que foi fundamental para mim.

Você falava em lutar boxe no futuro e em se aposentar quando o UFC não te deu a revanche contra o Conor McGregor. Agora, que vai disputar o cinturão, os planos mudaram?

Não, não mudou nada, continuo com a mesma cabeça. Quero lutar mais vezes, ser o campeão logo, defender o quanto antes e sair sendo campeão. Tenho o desejo pessoal de lutar boxe, um sonho, mas antes disso tenho contrato. Vou procurar honrar o contrato da melhor maneira possível e, quem sabe, futuramente estrear no boxe. Como sempre falo, começando de baixo, não quero desafiar ninguém. Quero construir uma carreira. Sou novo ainda, não tenho tanta experiência, mas a partir do momento que eu estiver livre do contrato, quero ir para o boxe, sim.


Manauara garante que melhorou no boxe após período no exterior (Foto: André Durão)


As superlutas e uma possível transição para o peso-leve também sempre foram cogitadas...

Isso já passou mais pela cabeça, hoje em dia estou focado em defender o cinturão, trazer de volta. Se tiver a oportunidade de fazer superluta, eu adoro, chama a atenção, ganhamos muito com isso. A prioridade é fazer mais lutas, defender o cinturão. Quero fazer uma luta atrás da outra.

Gostaria de fazer a luta principal do UFC Belém, dia 2 de fevereiro?

A gente vinha conversando de data com o Dedé. Primeiramente, tenho que ganhar o cinturão e, quem sabe, lutar no norte, lutar mais próximo da minha cidade natal, onde fui criado. É uma possibilidade. É subir degrau por degrau. Primeiramente, tenho o Holloway e, vencendo ele, tem que sentar para ver se consigo lutar lá.

O UFC está com um rodízio grande de campeões. Como vê essas mudanças?

Isso é normal, em qualquer esporte acontece uma renovação, temos que lidar com isso. O Georges St-Pierre voltou depois de anos sendo campeão, em uma categoria nova. Já passei por várias safras de campeões, mas quero continuar no topo ainda.

UFC 218
2 de dezembro, em Detroit (EUA)
CARD PRINCIPAL (a partir de 1h, horário de Brasília):
Peso-pena: Max Holloway x José Aldo
Peso-pesado: Alistair Overeem x Francis Ngannou
Peso-mosca: Henry Cejudo x Sergio Pettis
Peso-leve: Eddie Alvarez x Justin Gaethje
Peso-palha: Michelle Waterson x Tecia Torres
CARD PRELIMINAR (a partir de 21h15, horário de Brasília):
Peso-leve: Paul Felder x Charles do Bronx
Peso-meio-médio: Alex Cowboy x Yancy Medeiros
Peso-leve: David Teymur x Drakkar Klose
Peso-palha: Felice Herrig x Cortney Casey
Peso-meio-médio: Sabah Homasi x Abdul Razak Alhassan
Peso-meio-Pesado: Jeremy Kimball x Dominick Reyes
Peso-palha: Amanda Cooper x Angela Magaña
Peso-pesado Allen Crowder x Justin Willis


https://sportv.globo.com/site/combate/noticia/aldo-nao-treina-para-a-imprensa-mas-avisa-holloway-vou-sufocar-do-inicio-ao-fim.ghtml
Assinatura
UH É GALO DOIDO UH É GALO DOIDO

Stallone.Cobra

Mensagens: 2761
Cadastro: 03/06/2012

Nível 3

Mensagem publicada em 21/11/2017 22:41
Assinatura
"Você é um COCÔ, e eu vou te matar".

Stallone Cobra

http://www.youtube.com/watch?v=BYSJLrilrEo

ZeusBH

Mensagens: 3673
Cadastro: 31/05/2012

Nível 3

Mensagem publicada em 25/11/2017 14:33
Aldo já era
Assinatura
Vai, Cruzeiro!
Primeirino com orgulho!
  • Novo tópico
Páginas:  1  | primeira | anterior | próxima | última
Quem está online
0 usuários cadastrados e 1 visitantes.
Onde estou?  Fórum UOL Esporte > Lutas
  •  
Média geral    5.0 (2 votos)

2 votos (100.0%)

Excelente

0 votos (0.0%)

Ótimo

0 votos (0.0%)

Bom

0 votos (0.0%)

Regular

0 votos (0.0%)

Ruim