Onde estou?  Fórum UOL Esporte > Lutas
  •  
Compartilhe:
  • Enviar por e-mail
  • Orkut
  • Facebook
  • Twitter
  • Avalie:
27/02/2017 13:28

Polêmico, Conor McGregor fala à GQ Style

  • Novo tópico
Páginas:  1  | primeira | anterior | próxima | última

Galo Doido!

Mensagens: 5031
Cadastro: 28/05/2012

Nível 4



O artigo abaixo foi originalmente escrito por Zach Baron, com fotografias de Thomas Whiteside e publicado como matéria de capa pela revista norte-americana GQ Style, em sua edição de 15 de Fevereiro.

Para essa matéria de capa da GQ Style, o sempre controverso Conor McGregor falou sobre tudo: Donald Trump, R$83,000 reais em compras, Mayweather e seu duro caminho para se tornar o rei do octógono. Nota do editor: a língua de McGregor é tão perigosa quanto seu punho esquerdo.

Ontem, Conor McGregor gastou U$27,000 dólares (R$83.000 reais) na Dolce & Gabbana em Los Angeles, e ele diz o que geralmente faz após gastar esse dinheiro todo por aí: ele sai para tomar um café, para dar tempo dos vendedores empacotar tudo que ele comprou. "Isso virou rotina ultimamente," diz ele. Seus carregadores e amigos já se acostumaram esperar. Para gastar essa quantia requer tempo e paciência.

De qualquer forma, ele espera e recebe uma ligação da loja, e então outra chamada, porque a equipe de vendas continua encontrando coisas na pilha de itens, que esqueceram de colocar na conta - um par de sapatos por exemplo, e agora continuam o chamando de volta para passar seu cartão de novo. Agora, eu não conheço bem Conor McGregor, bem, vamos apenas dizer que meu conselho para os vendedores de artigos de luxo da América e Europa: Não faça isso. O método de comunicação usado por McGregor não envolve um tom diplomático. "Eu quebro ossos orbitais", diz ele, tentando explicar com as mãos que está dizendo com "orbital".

Conor McGregor pode ser rico agora, mas ele ainda luta para sobreviver. Mais que lutas, na verdade; ele carrega sua franquia, o UFC nas costas, assim como fazia Ronda Rousey, antes de ser nocauteada pela primeira vez e parar para se recuperar por cerca de um ano. Em sua ausência - uma questão de meses - McGregor tornou-se uma sensação, e o UFC foi vendido por 13 bilhões de reais. O quanto desse valor é atribuído a ele é uma questão a se perguntar sempre. Suas escassas dez lutas pelo UFC nos últimos quatro anos (nove vitórias, a maioria delas nocautes espetaculares, e uma derrota, para um sujeito que ele surrou na luta seguinte) despertou o olhar de milhares de centenas, senão milhões de pessoas para o MMA. Algum dia ele se permitirá aproveitar a vida boa e ir para Aspen ou Davos, mas por enquanto sua vida de trabalhador como ele descreve é beber bastante tequila, vestir camisas gola alta amarelo-mostarda da marca Gucci, ir aos shoppings para gastar o dinheiro que ele ganha fazendo homens perigosos em meninos desacordados.

Ele raramente está sozinho e nunca descansa. Ele escolheu estar cercado - pelo assistente de seu agente, dois seguranças e um câmera man, seu amigo tatuado Charlie, uns irlandeses divertidos mas que não fazem nada em particular. Ele pode ser encontrado sempre no meio deles, ricocheteado como uma molécula agitada. Ele caminha de um jeito estranho. Seu queixo pontudo à frente. Sua barba parece macia e aveludada, tipo algo que você morreria se tentasse tocar. Seu nariz tem uma pequena cicatriz.

Agora o sol está se pondo, a luz do inverno pálida e ele está dentro de um grande galpão no centro de Los Angeles, tirando fotos. Está escuro quando ele e seus amigos voltam para casa. As chaves dos carros são distribuídas aleatoriamente, sem nenhuma razão lógica. Charlie acaba na Lamborghini, mas nem consegue encontrar o botão que acende os faróis. McGregor e eu acabamos no banco de trás do Rolls Royce. Um dos seguranças, grande e quieto está no volante. Conor agita-se, inclina-se para fora e faz contato visual. Ele me mostra no seu celular fotos de suas roupas favoritas. Por um tempo ele se dedicou à alfaiataria fina; ele fala como a Irlanda está cheia de mini-McGregor ultimamente, um enxame de jovens com barbas e roupas como as dele, procurando por lutas feias. "Todos eles querem ser um pouco como mim. É como uma linha estilo Drake. Todos eles querem ser como mim. E isso é verdade."

Como se sente sobre isso? "Não culpo eles. Se eu não fosse eu, também queria ser como eu também.". Ele diz que tem trabalhado a semana toda como um filho da mãe. "É uma viagem de 2 milhões de dólares, uma semana, dois milhões.". Ele merecia essa pausa, um descanso. Por isso ele está indo para Malibu agora, onde alugou uma casa à beira mar. "Terminei". Seu único objetivo é descansar. "Talvez eu procure pelo traseiro enorme da Khloé (Kardashian), ela está num desses iates em Malibu. Não ligo a mínima para eles, só gosto de vê-los brilhando.". "Você diz..os Kardashians?" "Sim, só ver como é esse traseiro enorme brilhando.". Apenas admirar à distancia?

Ele estava cansado da seção de fotos hoje cedo, e agora está acordando novamente. Um brilho malicioso em seu olho. Ele saiu tarde na noite passada. Estar em público é divertido, diz ele, até que as pessoas se aproximem demais. "As pessoas pensam que eu sou uma celebridade. Eu não sou uma celebridade. Eu quebro o rosto das pessoas por dinheiro e glória." diz ele. O Rolls Royce flutua para o norte.

Ele vira para mim ,de repente, como se lembra-se de dizer algo. "Sabe... estou gostando de tudo que estamos falando até agora," diz ele. Ele está confortável e curtindo a conversa. "Mas quero ficar a par de tudo que sairá nesse artigo. Entende o que estou dizendo?". Entendo, mas não posso mostrar o texto final é algo que não fazemos. Política da GQ Style. Eu engulo minha saliva. Seu rosto fica vermelho. Eu já vi aquela expressão antes, mas nunca imaginei que estaria o encarando. "Eu vou jogá-lo na estrada agora mesmo e passar o carro em cima de você", diz ele, olhando direto para mim. Comecei a gaguejar. Talvez meu pessoal fale com seu pessoal, o que acha? Uma longa pausa. "Tudo bem." O tom ameaçador de seu rosto desapareceu como se nunca estivesse lá. "Não se preocupe com isso, você quase foi jogado pra fora do carro".

Você pode ver todas as lutas de Conor McGregor em uma tarde. Até se você não for um fã de MMA, eu encorajo você a assistir. É como ver uma lagarta se transformando em borboleta e ela virando aquela arma usada por Javier Bardem em 'No Country for Old Men'. Ele é um mestre na precisão. Ele encontra maneiras de acertar os oponentes onde eles menos esperam. Ele parece mais calmo no octógono do que qualquer um de nós numa loja de doces. McGregor luta com a guarda alta, quase como desculpando. Sua mão direita tende a ficar esticada como se estivesse procurando um interruptor de luz no escuro. Sua mão esquerda derruba os oponentes no chão. Em sua estréia no UFC, contra um ex-membro da Guarda Nacional Área chamado Marcus Brimage, McGregor agachou-se e pulava ao redor imitando vagamente um símio; então soou o gongo e desferiu uma rajada de upper cuts levando Brimage à lona. Durou cerca de um minuto e sete segundos.

Todas terminaram praticamente da mesmo forma. Na segunda luta de Conor McGregor, contra Max Holloway, ele literalmente torceu seu ligamento do joelho no segundo round, então recuou e passou a usar seu 'grappling' por mais cinco minutos. Vencendo novamente, por decisão unânime. "Relembrando, eu deveria ter arrancado meu joelho da perna e acertado nele", diz McGregor na coletiva pós evento. Ele unificou o título da divisão dos penas no final de 2015 nocauteando o formidável lutador José Aldo em 13 segundos. Treze segundos! Exatamente o tempo que levou para levantar sua mão esquerda. Seus pais juram que ele nasceu com punhos fechados: "eu luto a minha vida inteira, desde que nasci," diz Conor McGregor.

Existe uma certa alegria em ouvi-lo falar. E ele sabe disso. Algumas vezes parece que é mesmo uma marca, sua generosidade é o quanto ele diz, quantas palavras e o nível de zoação. Falar é uma arma, uma ferramenta. "Esse cara é um palhaço! Só fala!" eu ouvi isso durante muitas vezes em minha carreira", diz ele. "Aí depois eles acabam dormindo no meio do octógono.". Ele fala antes e depois das lutas. Em Novembro, no primeiro evento de MMA realizado no Madison Square Garden, ele venceu Eddie Alvarez alcançando o título de campeão peso leve do UFC, e após a luta ele pegou o microfone. "Passei muito tempo assassinando todos do UFC. Nos bastidores, eu briguei com todos. Ridicularizei todos os lutadores. E eu queria dizer, do fundo do meu coração, queria uma chance de desculpar-me...para absolutamente ninguém!", diz ele, cheio de alegria. "O campeão duplo faz o que ele quiser!".

No Rolls Royce, ele se inclina para frente, perguntando se pode dar uma parada para encontrar algo quente para tomar e descansar o corpo cansado da viagem, cansado do trabalho. Então ele volta para seu lugar, tenta explicar por quê é tão bom no que faz. Considera Nate Diaz, de quem perdeu inexplicavelmente em Março e depois o venceu de forma contundente numa revanche alguns meses depois.

"Ninguém trabalha melhor que eu. Meus golpes são perfeitos, são precisos. Veja Nate, ele tem 90kg. Quando eu acertava, era exatamente como um sniper atirando entre os olhos de alguém. O jeito que ele caia, parecia um saco de batatas. Essa é a força que eu tenho." Você pode explicar como isso funciona, tecnicamente? Ele sorri, como se fosse exatamente o que ele esperava que eu fosse perguntar. "Está tudo no meu saco. Está tudo nos meus colhões. Eu tenho essa confiança que vem dos meus colhões e quando eu o acerto, você cai e é isso."

Por um tempo, ele diz, lutar era tudo pra mim. Mas então no ano passado ele estava na D&B na Quinta Avenida em.Nova Iorque, ele viu um cara entrando em uma Ferrari. "Ele tinha um brilho, como um bronzeado. Um bronzeado dourado" relembra MvGregor. O cara parecia um Deus. Existe um tipo de bronzeado diferente. Você tem o bronzeado artificial, vc pode ter o bronzeado Californiano, espanhol... Mas aí existe o bronzeado pista de esqui. Este eh um bronzeado único. E há o bronzeado iate, que também é único... É dourado. E este cara tinha isso. O bronzeado platônico. O mais rico que Conor McGregor já havia visto.

Hoje à noite ele está hospedado em uma mansão em Malibu, com mesa de bilhar, piscina e um relaxante barulho do mar. Ele olha para cima e ri quando nós passamos pelo portão. Poucas semanas antes de sua primeira luta no UFC, ele ainda recebia assistência social do governo da Irlanda. Ele era apenas um encanador. Ele diz que olhou algumas casas da região e pensou porquê não? Ele mora em Las Vegas, mas sua casa ainda é a Irlanda. Ele poderia viver em qualquer lugar. O lugar é um estado de espírito. O destino de um homem é o que ele quer que seja.

"Eu me sinto no controle da minha própria situação. Quando você começa a culpar os outros por sua situação, como eu vejo essas pessoas gritando contra esses políticos" - McGregor estava em Nova Iorque para lutar contra Alvarez, logo após a eleição presidencial norte-americana. As ruas estavam cheias de manifestantes anti-Trump. "Eu estava tipo: essa é a mentalidade errada! Ou mesmo a forma como meus companheiros, lutadores do UFC, continuam tentando colocar de pé esse sindicato. Eles parecem essas pessoas que marcham contra os políticos, reclamando deles. Você que tem que estar no controle de si mesmo. Não depender deles"

Então você está dizendo que não importa se é Donald Trump ou qualquer outro?

Não, não é. As pessoas gostam de culpar os outros. Eu acho que as pessoas devem olhar para suas próprias questões, encontrar o que elas querem mesmo fazer e perseguir isso, ir atrás. E é isso. Eu estava em Nova Iorque quando toda essa confusão começou, os protestantes contra Trump. Era tipo, Fora Trump! Quando Obama estava aí o que aconteceu a você? Tipo todos esses lutadores: Esse sindicato vai nos salvar! O que você quer dizer com nos salvar? Você acha que quando tivermos um sindicato você simplesmente vai ficar multi milionário?

Esse não é a questão. Você pode ter suas contas do hospital pagas...

Eu só acho que essa é uma questão muito maluca para você gastar tanta energia com isso. Agora pode ter havendo gente que vai ser mandada embora de casa, por isso (sindicato). Certo. Donald Trump pode não afetar minha vida ou a sua. Mas acho que talvez seja diferente para outras pessoas.

"Sim, mas você acha que realmente é ele que vai...? Todo mundo está apontando para ele, e eu não sei. Em vez de colocar sua energia em apontar o dedo para outra pessoa, vá descobrir o que fazer e faça. Se uma pessoa busca isso, então sua vida acabará sendo melhor. De pé em um maldito piquete... eu acho que não".

Um ano atrás ele era um encanador, hoje está em uma mansão em Malibu. Ele sabe que é abençoado. Fala tanto de sí mesmo até o ponto de se sentir um super-humano. Quase um Deus. Acima das coisas que mantém você e eu acordados. "Eu cheguei em um outro nível, eu posso ter o que eu quiser na hora que eu quiser" diz ele. "É onde estou agora". Fora da mansão, na escuridão, as ondas batem nas rochas. Como se estivessem trazendo algo de novo


https://posluta.com/2017/02/26/polemico-conor-mcgregor-fala-a-gq-style/
Assinatura
UH É GALO DOIDO UH É GALO DOIDO

Stallone.Cobra

Mensagens: 2418
Cadastro: 03/06/2012

Nível 3

Mensagem publicada em 28/02/2017 15:35
muita chupação, mas de resto, boa entrevista
Assinatura
"Você é um COCÔ, e eu vou te matar".

Stallone Cobra

http://www.youtube.com/watch?v=BYSJLrilrEo

Mr.Crowley

Mensagens: 1828
Cadastro: 29/05/2012

Nível 2

Mensagem publicada em 01/03/2017 14:13
gostei
Assinatura
Mr. Crowley, what went on in your head
Oh, Mr. Crowley, did you talk to the dead
Your life style to me seemed so tragic
With the thrill of it all

JPDias

Mensagens: 3289
Cadastro: 31/05/2012

Nível 3

Mensagem publicada em 04/03/2017 20:54
McGregor é um showman
Assinatura



Eu sou o usuário que venceu a guerra contra uma tropinha de clones sem vergonhas que só inventavam notícia fake.

Sejam eternamente agradecidos a mim.
  • Novo tópico
Páginas:  1  | primeira | anterior | próxima | última
Quem está online
0 usuários cadastrados e 1 visitantes.
Onde estou?  Fórum UOL Esporte > Lutas
  •  
Média geral    5.0 (1 votos)

1 votos (100.0%)

Excelente

0 votos (0.0%)

Ótimo

0 votos (0.0%)

Bom

0 votos (0.0%)

Regular

0 votos (0.0%)

Ruim